quarta-feira , 21 novembro 2018
Mais Recentes
Home / Lição 10 – O Norte é a Região Pioneira

Lição 10 – O Norte é a Região Pioneira

O NORTE É A REGIÃO PIONEIRA

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

A partir desta aula, os atos do Espírito Santo são evidentes na expansão da Assembleia de Deus. Cada unidade da Federação alcançada é uma história de fé digna do livro de Atos.

Assim como Paulo empreendeu viagens missionárias ao redor do mundo e em todas elas a direção do Espírito foi o motor de propulsão, encontraremos homens sensíveis a esse comando (At 16.6).

Importante frisar que o modelo pentecostal brasileiro seguiu à risca a recomendação de Atos 1.8. Após o recebimento da promessa, a igreja espalhou as boas-novas, não se conformando em ficar apenas “sentindo” o poder de Deus.

Professor, procure enfatizar bem a lição que estudará o seu estado. Se possível, elabore um suplemento que mostre como a obra pentecostal se desenvolveu na sua região.

PALAVRAS-CHAVE

Pregação • Ide • Boas novas

 

OBJETIVOS

 

  • Compreender como a evangelização começou pelos estados do Norte;
  • Conhecer os pioneiros de cada estado;
  • Refletir sobre o zelo e sacrifício dos pioneiros nos estados do Norte.

PARA COMEÇAR A AULA

Mostre aos alunos um mapa do Brasil. Comente que a Região Sudeste sempre foi mais desenvolvida e pergunte à classe como se deu a evangelização do País: se foi do Sul para o Norte ou do Norte para o Sul.  Como as respostas indicarão “do Norte”, peça a um aluno que se levante e localize no mapa a cidade de Belém. Agradecendo, anuncie que a partir desta aula vamos estudar a expansão da Assembleia de Deus por todo o Brasil.

Em seguida, rascunhe um mapa de Israel nos tempos de Jesus, com Jerusalém ao centro e setas para Judeia, Samaria e arredores. Na outra metade, o mapa do Brasil. Aqui o centro será Belém do Pará.

 

RESPOSTAS DA PÁGINA 64

 1)        Macapá

2)        Samuel Nyström

3)        Luiz Firmino Câmara

 

LEITURA COMPLEMENTAR

 A Assembleia de Deus em Belém é fruto de missões, assim como as de todo o Brasil. Sabemos que foi em Belém que inicialmente chegaram os missionários Gunnar Vingren e Daniel Berg, tocados pelo Espírito Santo, para trazerem a mensagem pentecostal. Eles estavam fazendo missões. As primeiras viagens missionárias de Gunnar Vingren e Daniel Berg ao interior do estado originaram uma revolução espiritual nas ilhas e na região da Estrada de Ferro. A conversão de Antônio Tibúrcio e João Batista Melo, quando ambos trabalhavam na extração de borracha, tornou-se um fato memorável. Eles imediatamente deixaram seus afazeres e percorreram rios e igarapés em busca de parentes, amigos e fregueses para testemunharem da nova fé.

Na estrada de ferro, Daniel Berg realizou a sua silenciosa marcha de evangelização, levando dezenas de almas a Cristo. Os pioneiros cumpriram a missão, espalhando o evangelho de poder por toda esta grande nação, não se descuidando de conscientizar os conversos de que Deus assim determinara aos seus servos e que essa devia ser a continuidade da obra. desde os primórdios da Igreja, fazer missões é, por assim dizer, parte do “DNA corporativo” da Assembleia de Deus. (…)

Para o atendimento pastoral à comunidade evangélica que se levantava pelo testemunho destes missionários voluntários, a igreja credenciou um grupo de obreiros itinerantes para consolidar a obra iniciada e ministrar o batismo e as primeiras orientações administrativas onde fosse necessário. Esse trabalho resultou na fundação de muitas igrejas em vários estados brasileiros.

Quando os pioneiros aqui chegaram, providencialmente era o fim do “ciclo da borracha”. Belém era considerada o portal da Amazônia. Quem veio trabalhar na extração da borracha, por aqui passou antes de se dirigir a Manaus, com a queda da borracha no mercado internacional, milhares de trabalhadores ficaram desempregados, muitos voltaram a Belém em busca de trabalho, ou simplesmente tentando voltar para sua terra natal.

Nesse contexto econômico e social, os que se iam convertendo ao evangelho, imbuídos do espírito missionário dos pioneiros, procuravam levar a mesma mensagem a seus familiares. Isso muito ajudou a estabelecer a vocação missionária da nova igreja, possibilitando a abertura de trabalhos nos mais distantes rincões desse imenso País.

Livro: “História Centenária da Assembleia de Deus” (8a Edição, Belém-PA, 2011, pgs. 171-172).

LIÇÃO 10 – O NORTE É A REGIÃO PIONEIRA

TEXTO ÁUREO

“E que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém.”

Estudada em  03/06/2018

 

DEVOCIONAL DIÁRIO

 Segunda Ef 2.12 Sede de Cristo

Terça Jo 17.3 Sede saciada

Quarta Mc 16.16 Fé para salvação

Quinta Rm 8.9 Santa habitação

Sexta Jo 4.10 Água abundante

Sábado Jo 3.15,16 Vida sem fim

 

LEITURA BÍBLICA

Lucas 24.46-49

46       e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia

47       e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém.

48       Vós sois testemunhas destas coisas.

49       Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder.

Hinos da Harpa: 355 24

O NORTE É A REGIÃO PIONEIRA

INTRODUÇÃO

I – AMAPÁ E RORAIMA

  1. Amapá
  2. Roraima

II – AMAZONAS

  1. Início
  2. Crescimento
  3. Centenário 

III –  RONDÔNIA, ACRE E TOCANTINS

  1. Rondônia
  2. Acre
  3. Tocantins 

APLICAÇÃO PESSOAL

 

INTRODUÇÃO

A partir desta lição, vamos acompanhar, em ordem cronológica, a marcha do Movimento Pentecostal em todo o Brasil. À semelhança da ordem de evangelização em Atos 1.8 (Jerusalém, Judeia e Samaria, confins da terra), a Assembleia de Deus estendeu suas fronteiras. Igreja-mãe do Pentecostes, Belém do Pará, casa de missões, respondeu prontamente o clamor enviando seus próprios filhos e filhas, alcançando todo o Brasil.

I – AMAPÁ E RORAIMA

 À medida que Jesus salvava, crentes tornavam-se poderosos missionários. Deus levantava pastores nacionais e enviava estrangeiros para apressar seu projeto. De Belém, homens e mulheres saíram pregando que Jesus salva, cura e batiza com o Espírito Santo.

1. Amapá. Coube ao colombiano Clímaco Bueno Aza o pioneirismo pentecostal em terras amapaenses. Clímaco se convertera no interior do Pará, em 1913, tendo chegado a Macapá em 26 de junho de 1916, cuja cidade era pequena, com cerca de 1000 habitantes à época. Chegara com sua mala cheia de Bíblias, folhetos e evangelhos.

Descoberta sua missão, o padre local insuflou arruaceiros para apedrejar o evangelista. Suas Bíblias

foram arrancadas de suas mãos e queimadas em praça pública. Mas Clímaco não temeu. Passado algum tempo, retornou, tendo mais liberdade para evangelizar.

Foi o evangelista José de Matos Caravela quem estabeleceu a igreja no Amapá, em 1917. A perseguição recomeçou, mas não prevaleceu. No dia 27 de junho, as primeiras pessoas se converteram. Dia 30, um amapaense foi batizado com o Espírito Santo.

No Dia de Natal, foi realizado o primeiro batismo, nas águas do rio Amazonas. Judeus, comerciantes do lugar, foram apreciar o ato público. Ao sair das águas, a irmã Raimunda Paula de Araújo foi batizada com o Espírito Santo e falou em novas línguas com muito poder. Falou hebraico. Leão Zagury, judeu, que tinha seu comércio junto ao rio, interpretou tudo o que aquela simples mulher falava. Maravilhado, exclamou diante de seus compatriotas: “Eis que vejo a glória do Deus de Israel, pois esta mulher está falando minha língua!”

O Amapá, ligado politicamente ao Pará àquela época, esteve décadas sob liderança da Igreja-mãe em Belém. Daniel Berg, Samuel Nyström , Nels Nelson, Crispiniano Melo, José Moraes, Vicente Rêgo Barros e Otoniel Alves de Alencar são alguns ministros pioneiros no Amapá.

Hoje a igreja é pastoreada pelo Pastor Oton Alencar. Pastoreiam também grandes igrejas e ministérios os pastores Dimas Rabelo, Lucifrancis Tavares e Ezer Belo.Todos celebraram com brilhantismo o centenário da igreja no Amapá, em 2017.

 

2. Roraima O pioneiro em Roraima foi Cordulino Teixeira Bastos, cuja família chegou a essa terra em 1915. Em 1918 o missionário Samuel Nyström, trabalhando em Manaus, viajou para atender pessoa interessada em ouvir o Evangelho numa fazenda em Boa Vista, então município amazonense. Ali, encontrou uma família portuguesa, batizando-a em águas.

Em 1946, Nels Nelson, líder da Igreja-mãe em Belém, enviou o pastor Quirino Pereira Peres. A data oficial de fundação da Assembleia de Deus em Roraima é 9 de setembro de 1946. No dia da fundação, Quirino batizou em águas os novos convertidos Raimundo Bispo de Souza e José Peres de Lima. Também constam como pioneiros: Vicente Pedro da Silva, Honório Amorim Teixeira, Raimundo Gomes da Silva, José Pereira de Lima, Maria Amaral Peres etc.

 

II – AMAZONAS

Transcorria o ano de 1917, quando o Irmão Severino Moreno de Araújo aportou em Manaus, procedente de Belém-PA e lançou a preciosa semente do Evangelho. Com muitas lágrimas e orações, os primeiros frutos começaram a germinar.

1. Início. Antes de seu regresso a Belém, o irmão Severino, enviou uma carta à Igreja-Mãe solicitando

o envio de um obreiro para Manaus, no que foi prontamente atendido. Os missionários Samuel e Lina Nyström desembarcaram em Manaus, onde no dia 1º de janeiro de 1918 fundaram a Igreja Assembleia de Deus em Manaus. A igreja alugou um casarão de dois pisos, na rua Henrique Martins, esquina com a rua 13 de Maio, atual avenida Getúlio Vargas. O andar superior servia como residência do pastor e o térreo como templo.

2. Crescimento. As primeiras pessoas convertidas em Manaus foram os irmãos Horário da Silva e Fausta Sousa Lima. O primeiro batismo em águas realizado em Manaus ocorreu três meses após a fundação da nova igreja. Realizado pelo missionário Samuel Nyström às margens do igarapé do Mestre Chico, junto à Terceira Ponte. Foram batizados 15 irmãos, entre eles as irmãs Fausta e Adalgiza, as primeiras a receberem o batismo no Espírito Santo em Manaus e um capitão de navio juntamente com sua parentela, que era descendente de uma família nobre de Portugal.

Os pastores Samuel Nystrõm, Manoel da Penha, José Paulino, Manoel Higino, Josino Galvão, José Menezes, José Floriano, José Bezerra, José Marcelino, Deocleciano Cabralzinho, Francisco do Nascimento, João de Queiroz, Alcebíades Vasconcelos, Otoniel Alves, José Reis, Samuel Câmara e Jonatas Câmara, o atual pastor e recordista de tempo no pastorado, estão fortemente presentes na memória da igreja.

A igreja sempre teve bom crescimento, todavia, a partir do investimento na educação, na ação social, na missão transcultural, na comunicação, na participação no âmbito político e, principalmente, após a implantação do projeto de Células, o número de almas alcançadas triplicou. Antes, o número de batizados nas águas oscilava entre 3.500 a 4.000 pessoas, passando depois para cerca de 10.000 a cada ano. O número de pessoas que se reconciliaram com o Senhor de igual modo cresceu significativamente. O número de congregações no início do projeto era em torno de 500; hoje são 1.170 em Manaus. Em 2001 havia 46.809 membros da igreja em Manaus; hoje, são 146.524 membros.

3 . Centenário. O centenário da igreja no Amazonas foi celebrado solenemente, no mês de dezembro de 2017, em todas as esferas da igreja e da sociedade amazonense e brasileira. As imagens ficaram marcadas na memória de todos os que participaram pessoalmente ou acompanharam através da Rede Boas Novas, que transmitiu, ao vivo, para todo o Brasil. Desde a sessão solene no Congresso Nacional, a formatura de 900 pastores em ciências da religião pela Faculdade Boas Novas, a presença de líderes de todo o Brasil, a adesão de 4.100 ministros e ministras do evangelho à CADB Convenção da Assembleia de Deus no Brasil. O que dizer das encenações e dos documentários em vídeo da história! Dos batismos de mais de 13.000 pessoas na praia da Ponta Negra! Por fim, das mais de 150 mil pessoas lotando o sambódromo da cidade! Inesquecível centenário! Parabéns, Pr. Jonatas e igreja no Amazonas! Cuidando uns dos outros!

 

III. RONDÔNIA, ACRE E TOCANTINS

1. Rondônia. Era o ano de 1922, quando José Marcelino da Silva saiu de Belém para evangelizar “Porto do Velho”, uma localidade simples, à época ligada ao estado do Amazonas. Ali, começou a testificar de Jesus e logo colheu preciosos frutos.

Em 1921, chega a Belém o missionário norte-americano independente Paul John Aenis. Paul chegou a Porto Velho no início de 1922. Ali, contando com precioso auxílio e encorajamento de José Marcelino, organizou a primeira congregação.

Em 28 de fevereiro do mesmo ano, realizou o primeiro batismo de quatro novos convertidos. A semente do Evangelho estava lançada em boa terra! Posteriormente, José Marcelino da Silva foi consagrado ao ministério pastoral. Em 1928, assumiu o ministério da igreja em Porto Velho.

Depois, dentre outros egressos de Belém também estavam os pastores Manoel Cézar da Silva, Leonardo Severo da Luz, Januário Norberto Soares, Manoel Pirabas, Juvenal Roque de Andrade e Joviniano Rodrigues Lobato etc.

2. Acre. Há escassos registros que Manoel Pirabas esteve em Cruzeiro do Sul no ano de 1932. Em Rio Branco, todavia, a capital do estado, há certeza que a igreja foi fundada em 1943 pelo irmão Luiz Firmino Câmara. O pastor Francisco Vaz Neto organizou a obra em 24 de janeiro de 1944.

Oito pastores serviram à igreja em Rio Branco: Francisco Marcelino da Silva, Francisco Vaz Neto, Hemetério Bertoldo Gomes, Túlio Barros Ferreira, Manoel de Araújo, José Rodrigues Muniz, Carlos Levi Mendes Conde e Luiz Gonzaga de Lima que é o atual pastor e assumiu a igreja em 26 de setembro de 1994. É o primeiro acreano a presidir a Assembleia de Deus em Rio Branco; é também, o pastor que há mais tempo está à frente da Igreja.

Seu primeiro desafio foi a construção do Grande Templo da Assembleia de Deus, um sonho antigo da igreja, inaugurado no dia 21 de setembro de 2002, com capacidade para aproximadamente 2.500 pessoas.

Sua mais recente realização foi o Jubileu de diamante, celebração dos 75 anos de história da Assembleia de Deus em Rio Branco, uma festa especial e marcante nos dias 21 a 23 de janeiro de 2018. 0 evento contou a participação de diversas autoridades civis e eclesiásticas, dentre elas, dois netos do pioneiro Luiz Firmino Câmara que nasceram no Acre, os pastores Samuel Câmara, presidente da CADB e Jonatas Câmara, presidente da convenção no Amazonas, acompanhados de suas respectivas esposas.

A Assembleia de Deus em Rio Branco conta com 14.000 membros e 128 congregações (Igrejas-filiais). Glória a Deus! e Parabéns, pastor Luiz Gonzaga e querida igreja em Rio Branco e no Acre!

3. Tocantins. O estado do Tocantins foi criado pela atual Constituição Federal, promulgada em 5 de outubro de 1988. É um desmembramento do estado de Goiás. Palmas, planejada para ser sua capital, foi inaugurada em 20 de maio de 1989.

Temos importantes igrejas estabelecidas há muito na região. Cite-se a Assembleia de Deus em Gurupi, ligada ao Ministério de Madureira, a qual em 2006 comemorou 50 anos de existência.

 

APLICAÇÃO PESSOAL

A evangelização da Região Norte foi a prova de fogo de nossos pioneiros, antes de Deus entregar-lhes toda a Nação. Sem o mínimo conforto, os missionários embrenharam-se na densa floresta, cruzaram rios, transpuseram cachoeiras, conviveram com feras e doenças mortais, mas conquistaram o Brasil.

 

RESPONDA

1)        Em que cidade Bíblias foram queimadas em praça pública?

3)        Quem foi o pioneiro da Assembleia de Deus na capital do Acre?

2)        Quem fundou a Assembleia de Deus em Manaus?